Publicidade

 

Em Valongo são todos precisos e são todos importantes. Por isso a Câmara Municipal lançou o projeto ASA, que como o nome diz, pretende dar asas a quem nele participa.

ASA – Acreditamos em Seniores Ativos – pretende, mais do que ocupar a população sénior com mais e novas atividades desportivas e culturais, utilizar todo o conhecimento adquirido ao longo de uma vida em prol da comunidade.

Não há maior aprendizagem do que aquela que a vida nos ensina e essa aprendizagem não deve ser desperdiçada nem desprezada.

Este ano e pela primeira vez num projeto participativo jovem, no nosso país, houve uma componente financeira para projetos jovens que envolvessem os nossos seniores e foi um sucesso. Promover o convívio intergeracional resulta, mostra respeito e faz sentir que, aqueles que tanto deram à sociedade continuam a ser válidos e necessários.

O objetivo de um Executivo camarário é melhorar o grau de felicidade dos seus munícipes, seja através de novas e melhores infraestruturas, novos e melhores serviços, ou com novos projetos que envolvam a comunidade, como este. Neste projeto todo o trabalho da equipa da ação social tem como único objetivo garantir a felicidade dos nossos seniores. Através das 5 academias, que já contam com mais de meio milhar de inscrições, mas também com todo um conjunto de novas ações que promovem o seu envolvimento e integração em vários sectores da comunidade.

A partir dos 65 anos rotulamos as pessoas de seniores e a partir da reforma, acredito que de forma inconsciente, a nossa sociedade cola o rótulo depreciativo de idoso como identificação de um adulto, cujas capacidades motoras e intelectuais passam a estar diminuídas pela idade e pela inércia. Como é sabido, cada vez mais vivemos mais tempo e com mais saúde e hoje em dia um adulto de 65 ou 70 anos, ou mais, está perfeitamente capacitado para desenvolver e participar em atividades sociais, culturais ou desportivas, como elemento válido e independente. É importante a sociedade ter essa noção e não esquecer esta faixa tão rica em conhecimento, experiência e disponibilidade. Em Valongo acreditamos neles, precisamos deles e sabemos que eles nos podem ajudar a pôr ASAs nos nossos projetos.

Este projeto, tal como o projeto “O meu Bairro não tem Paredes”, que leva as artes, a cultura e o desporto, aos nossos empreendimentos sociais, são importantes, são inclusivos e são inspiradores.

Pretendem promover a inclusão e combater o preconceito. Pretendem que ninguém fique para trás ou se sinta excluído.

Por isso afirmo, que em Valongo, ninguém fica para trás!