Face às notícias vindas a público sobre suspeitas de tráfico de influências e corrupção em relação a Nuno Araújo, antigo chefe de gabinete de Pedro Nuno Santos e presidente do Partido Socialista de Penafiel, e a buscas efectuadas em autarquias, entre elas Valongo, a comissão política do PSD emitiu um comunicado questionando a autarquia sobre os contratos realizados e se confirma a presença da PJ nos paços do concelho.

“Essas suspeitas dizem respeito a actividades da empresa E.Q.S., da qual Nuno Araújo era sócio -gerente e que terá beneficiado de diversos contratos de serviços celebrados com diversas autarquias, entre as quais a de Valongo. De facto, verifica-se que, por consulta ao portal base.gov, que aquela empresa celebrou com o município de Valongo dois contratos, em 2 de Maio de 2016 para inspecções periódicas, reinspecções e inspecções extraordinárias aos equipamentos elevatórios existentes no concelho de Valongo, pelo período de três anos por 24.390,24 € +IVA, e em 26 de Setembro de 2018, para os mesmos fins, por um período de 36 meses, por 63 mil euros +IVA”, relata a informação enviada pelo PSD, que deixa três questões ao executivo liderado pelo socialista José Manuel Ribeiro.

“Se confirma a presença da Polícia Judiciária no município por questões relacionadas com este caso e se confirma que os elementos solicitados respeitam aos contratos de prestação de serviços atrás mencionados; quais as razões que levaram o município a celebrar um contrato com a E.Q.S., com o mesmo objecto, em Setembro de 2018, sem estar terminado o prazo de vigência do contrato celebrado em Maio de 2016; e quais os serviços efectivamente prestados ao município, no âmbito dos citados contratos, indicando os locais e datas em que os mesmos se realizaram”, lê-se.

O Verdadeiro Olhar Tentou obter esclarecimentos da autarquia, mas não foi enviada resposta em tempo útil.

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here