Foto: Junta de Ermesinde

A tesoureira do Agrupamento de Escolas de São Lourenço, em Ermesinde, Valongo foi despedida por desviar dinheiro das contas do estabelecimento de ensino durante sete anos.

Em causa estarão mais de 427 mil euros, sendo 267 mil euros relativos a carregamentos dos cartões escolares usados por alunos e professores para compras na papelaria e reprografia e 160 mil euros transferidos da conta do agrupamento para a sua conta pessoal, diz o JN.

A proposta de demissão apresentada pela Inspecção-Geral da Educação e Ciência foi aprovada pela Câmara de Valongo e já publicada em Diário da República.

Ninguém se terá apercebido dos desvios ao longo dos referidos sete anos e a funcionária tinha sempre sido avaliada com “muito bom” e “excelente” nas avaliações.

Além de ser despedida a mulher vai ter de devolver as verbas desviadas.

As conclusões deste processo disciplinar vão ser remetidas ao Ministério Público que já instaurou um processo-crime.

3 Comentários

  1. Quem sou eu para julgar…….mas se a senhora vai ser despedida e restituir o dinheiro; porque não acontece o mesmo a quem faz mossa no pib nacional?🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤐🤐🤐🤐🤐🤐🤐🤐🤐🤐🤨🤨🤨🤨🤨🤨😬🤨

    • Pensei o mesmo. Não pretendo, de todo, desvalorizar ou aceitar a conduta da senhora e os roubos são sempre condenáveis… Porém, nos últimos tempos vemos juízes a “perdoar” crimes públicos a personalidades (caso José Sócrates) e outros como o Salgado do BES e saírem bem, com os bolsos bem cheios e a rir-se de nós 🤬🤬🤬🤬

Deixe o seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here