Foto: Ambisousa

O ano de 2020, marcado pela pandemia Covid-19, foi aquele em que mais resíduos selectivos se recolheram no Vale do Sousa. A conclusão consta do mais recente Relatório Anual da Reciclagem 2019 da Ambisousa – Empresa Intermunicipal de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos do Vale do Sousa, que trata os lixos dos concelhos de Castelo de Paiva, Felgueiras, Castelo de Paiva, Lousada, Paços de Ferreira, Paredes e Penafiel. A taxa de reciclagem global em 2020 foi de 35,4%.

A região voltou a reciclar acima das metas definidas, como já tinha acontecido em 2019, alcançando uma média de 35 quilogramas por habitante/ano, em 2020, mais dois quilogramas que no ano anterior.

Globalmente, todos os concelhos reciclaram mais. Em termos absolutos, Paredes mantém-se como o município que mais contribui para a reciclagem na Ambisousa. Em termos per capita, Lousada e Paredes foram os concelhos que apresentaram melhor desempenho, com cada habitante a encaminhar para reciclagem, em média, 39 quilogramas de resíduos em 2020.

Paredes e Penafiel são os concelhos que mais resíduos encaminham

Infografia: Relatório da Ambisousa

Segundo o relatório anual da Ambisousa, que recorda que a recolha selectiva passou a ser feita pela empresa intermunicipal, no ano passado, deram entrada nas estações de triagem mais de 13 toneladas de resíduos tendo como destino a reciclagem. 95% eram papel/cartão, vidro e plástico.

“2020 foi o ano em que mais resíduos selectivos (papel, vidro e plástico) se recolheram no Vale do Sousa. Verificaram-se aumentos em todos os municípios e em todos os três fluxos. Comparativamente com 2019, registaram-se aumentos de +40% no fluxo papel (+ 1428 toneladas), +8% no vidro (+369 toneladas) e +23% no plástico (+477 toneladas)”, descreve o documento.

Infografia: Relatório da Ambisousa

Paredes mantém-se como o concelho que mais resíduos encaminha para reciclar (28% dos materiais recepcionados). Seguem-se Penafiel e Paços de Ferreira, com 21% e 18%, respectivamente.

Em 2020, Paredes encaminhou quase 3719 toneladas de resíduos para reciclagem (plástico, vidro, papel/cartão, sucata, REE, colchões e pilhas). A subida é de 41% face ao ano anterior, sendo que, por exemplo no papel, o aumento foi de 106%, mais do dobro (ver infografia).

Os habitantes de Penafiel mandaram para reciclar 2708 toneladas de resíduos, mais 18%, enquanto os de Paços de Ferreira encaminharam 2318 toneladas (mais 19%). Em Lousada, a subida face a 2019 foi de 12%, tendo sido recolhidas 1972 toneladas de resíduos.

Dados Ambisousa | Infografia Verdadeiro Olhar

Metas superadas em Lousada, Paredes e Paços de Ferreira

Quanto à meta de “retomas de recolha selectiva” imposta à Ambisousa no âmbito do Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU) 2020, que era de 32 quilogramas por habitante/ano, foi novamente superada, como já tinha acontecido em 2019. No global, cada habitante dos seis concelhos do Vale do Sousa encaminhou para reciclar 35 quilogramas de resíduos em 2020. “Este resultado traduz um incremento de dois quilogramas por habitante/ano face a 2019, e um aumento de 13 quilogramas por habitante/ano face a 2015, primeiro ano do PERSU 2020”, conclui o documento. E acrescenta: “Estes resultados representam o extraordinário esforço que a Ambisousa e os seus municípios tem feito neste sentido, mais concretamente ao nível do reforço de ecopontos, dinamização de campanhas e na delegação na Ambisousa, desde 2019, no serviço de recolha selectiva”.

Infografia: Relatório da Ambisousa

Em Lousada e Paredes a meta foi claramente superada. Nestes concelhos, cada habitante reciclou 39 quilogramas de resíduos no ano passado, quando a média da Ambisousa foi, como referido, de 35 quilogramas. Acima disso ficou também o concelho de Paços de Ferreira, onde os habitantes, em média, encaminharam para reciclar 36 quilogramas de resíduos no ano de 2020. Penafiel cumpriu as metas, atingindo os 35 quilogramas reciclados por habitante. Abaixo ficaram Felgueiras e Castelo de Paiva.