Não será novidade para a grande maioria das pessoas que o comércio esteja a adaptar-se aos tempos e a tornar-se, tal como os restantes aspectos da nossa vida, uma actividade mais digital.
O comércio digital já está em evolução há vários anos e o aumento no número de empresas exclusivamente online e no número de empresas que se rende, além do mundo físico, também à Internet é bastante visível.
Para muitas pessoas, o digital constituiu um espaço de empreendedorismo, permitindo a criação de lojas online e uma escolha simplificada de produtos para o seu dropshipping e criando os aliados, plataformas e métodos mais simples para a conquista de espaços de criatividade, trabalho e sucesso.
O ano passado, um estudo realizado sobre as empresas portuguesas revelou que 61% destas entidades não tem, ainda, uma presença online.
Ainda assim, a verdade é que, cada vez mais, as estruturas criadas têm como objetivo apoiar a migração digital das empresas e a criação de novos negócios online em Portugal
O novo Programa Comércio Digital é um dos projetos atuais que visa colocar online mais de 50 mil empresas. Saiba mais sobre este programa.

O programa da ACEPI

A Associação Portuguesa da Economia Digital (ACEPI), numa parceria com a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) e com o apoio governamental encontram-se, actualmente, na base do Programa Comércio Digital.
Este programa foi recentemente apresentado em Viana do Castelo e tem como objetivo promover a digitalização de 50 mil empresas portuguesas no setor dos serviços e do comércio, entre as quais se destacam as Pequenas e Médias Empresas (PME’s) e as micro empresas.
A intenção principal deste programa é aproximar os negócios da tendência digital, abrindo espaço para novas oportunidades e melhores resultados, que permitam uma maior facilidade de acesso aos mercados internacionais e também a captação de mais clientes. Motivando a construção de uma maior presença online, este programa utiliza o slogan de “O seu negócio mais perto do futuro”.
Este programa irá disponibilizar, de forma gratuita, por um ano, um voucher com inúmeras vantagens para as empresas aderentes. Entre estas ferramentas encontram-se ferramentas e espaços digitais para a criação, alojamento e gestão de um negócio online.
No processo de implementação deste programa, existirá um roadshow que tentará disponibilizar, pelo país, toda informação necessária e explanar as vantagens das ferramentas digitais no nosso século. Espera-se que 150 localidades portuguesas recebam apresentações deste projeto, no processo de captação de empresas.

O projeto e a formação digital

Além dos apoios especificamente relacionados com a presença digital, o Programa em questão integra também uma Academia Digital que visa ensinar, através de uma plataforma de e-learing, mais sobre os conteúdos relacionados com a economia digital.
A par com a formação está também prevista a criação de uma rede de apoio nacional que tenciona apoiar as PME’s na transição para o meio digital e ajudar a garantir o sucesso online.
Este processo mediado de transição digital é visto, pelos seus promotores, como uma mais-valia, tornando o público-alvo destas empresas mais abrangente e ajudando a modernizar as estruturas, criando maior apelo pelos produtos das marcas destas pequenas e médias empresas.

A digitalização do comércio e a pandemia

Ainda que o mundo digital ofereça severos desafios para o comércio, a verdade é que são cada vez mais as pessoas que buscam o meio online, quer para a criação de projetos e marcas, como para fazer o consumo e aquisição de serviços e produtos.
A tendência internacional já era, ao longo da última década, para que cada vez mais pessoas vendessem e comprassem online. Ainda assim, em 2020, o cenário criado pelo Coronavírus e as estratégias governamentais adotadas para tentar combater a pandemia em inúmeros países fez com que existisse um acentuar desta tendência.
O cenário que encontramos, no momento, é o de um consumidor que, cada vez mais, busca o online como forma de comprar; e de empreendedores que aproveitam a facilidade e o acesso digital (bem como o interesse dos consumidores) para tentarem a sua sorte migrando as suas marcas para o online ou edificando na Internet um novo negócio.
O e-commerce tem ganho uma grande expressão internacional e, sem dúvida, os números verificados revelam que este é um dos setores em crescimento, um pouco por todo o mundo.
Ainda que o sucesso não possa ser garantido neste meio, devido às fortes dinâmicas de concorrência geradas pela sua saturação, a verdade é que o interesse por este tipo de comércio tem sido crescente, bem como a busca pelos conhecimentos e apoios que permitem contornar os desafios e atingir o sucesso.