A banda tocou e… parou. As crianças agitaram bandeiras de Portugal e da Associação para o Desenvolvimento de Figueira depois sentaram-se, esperaram, e voltaram a levantar-se inquietas, debaixo de sol intenso. Mas a espera deixou de interessar mal o Presidente da República pôs o pé fora do carro. As crianças chamaram por Marcelo, repetiram-se até à exaustão as tradicionais selfies, houve autógrafos, e o chefe de estado foi sorrindo e cumprimentando todos, um a um, sem deixar ninguém para trás, como já é seu hábito. Também as funcionárias das várias valências da instituição foram cumprimentadas e chamadas pelo nome, assim como os utentes.

O “presidente dos afectos” foi distribuindo palavras de incentivo e de simpatia a todos e abraçou com vontade Vitorino Silva, conhecido como Tino de Rans, que disputou com ele as eleições à Presidência da República.

Depois visitou a Casa Abrigo da instituição, que acolhe vítimas de violência doméstica, a Unidade de Cuidados Continuados, o Centro de Dia e o Lar, onde continuou a distribuir cumprimentos e a tirar fotografias, a cada passo.

No final disse ter vivido “uma tarde inesquecível”. “Eu sei o que é fazer uma obra como esta e vê-la fazer 25 anos. Significa muito trabalho, muito sacrifício, muita doação”, afirmou o Presidente da República. “Eu dou valor porque sei o que custa”, afiançou.

“Venho de um município que era o mais pobre de Portugal e sei a dificuldade que é agarrar as pessoas à terra, não deixar que desapareça e que envelheça”, descreveu Marcelo Rebelo de Sousa, salientando a importância das crianças que o receberam no rejuvenescimento local.

“Não me vou esquecer do entusiasmo das crianças, dos professores, dos profissionais da instituição e destes menos jovens que me disseram que são cá muito bem tratados”, sustentou o chefe de estado. “Não esquecerei o clima humano que aqui se vive, de alegria e voltado para o futuro”, garantiu ainda.

“Obrigada por esta tarde. Não me esqueço e voltarei o mais breve possível”, prometeu Marcelo Rebelo de Sousa, que já antes tinha prometido ao presidente da Câmara Municipal de Penafiel voltar ao concelho. “Prepare-se que esta não é a última, mas a primeira vez. Este mandato só termina em 2021 e cá me terá mais vezes para confirmar que quem cá vem quer imediatamente voltar na primeira ocasião”, sustentou.

Recorde-se que o Presidente da República visitou a instituição pelos seus 25 anos de existência e pelo trabalho social desenvolvido.

“As imagens da sua passagem por esta terra dispensam palavras. Tê-lo perto de nós, ver como se dedica às pessoas dá-nos uma coragem enorme e um incentivo para os próximos 25 anos”, afirmou António Lobo Xavier, presidente da assembleia geral da Associação para o Desenvolvimento de Figueira e conselheiro de estado.

4 Comentários