Publicidade

 

Penafiel, apresentou recentemente a sua candidatura ao título de cidade europeia do Desporto – 2020.

A nossa conterrânea Fernanda Ribeiro, que é a atleta portuguesa mais medalhada de sempre e Campeã Olímpica, é a embaixadora da nossa candidatura.

Esperamos todos que a organização, venha a escolher a nossa cidade como a anfitriã em 2020, o que colocará a nossa urbe e concelho nas “bocas da europa”, pelas melhores razões.

Em 2017, a cidade europeia do desporto foi Gondomar, e, sem dúvida alguma, seria deveras positivo e o reconhecimento da pujança do norte, que em 2020, uma outra cidade, no caso a capital do Vale do Sousa e segunda cidade mais antiga do distrito fosse a escolhida.

Estas candidaturas são muito importantes, por forma a capitalizar a nossa região, e criar sinergias que advêm direta e indiretamente de um evento desta dimensão, sendo certo porém, que se deve ter o discernimento de relativizar alguns protagonistas e protagonismos por vezes “bacocos”, que são de todo inócuos e desnecessários, indo nos antípodas da nossa grandeza, por certo para autoconvencimento ou preparação de “pista” futura do regime sucessório.

Penafiel, pela sua dimensão histórica, cultural e desportiva, ao ser candidata a este título fez a sua justíssima obrigação.

O nosso singular movimento associativo, nomeadamente ao nível desportivo, merece este reconhecimento, pelo que é de saudar e enaltecer a candidatura e os seus responsáveis, independentemente do resultado que venha a ocorrer.

A candidatura é, em si mesmo, um ato de inteira justiça e de elevação do nome de Penafiel e dos Penafidelenses, e esta montra europeia pode ajudar diversas modalidades e atletas na sua afirmação, o que naturalmente é motivo de satisfação para tod@s.

Ainda no âmbito desportivo, há uma semana, os associados do FC Penafiel em reunião magna convocada a título extraordinário, aprovaram por maioria a transformação da Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas em Sociedade Anónima Desportiva.

O projeto foi apresentado pela direção do nosso clube rubro-negro, tendo cerca de 100 associados presentes, deliberado por maioria a transformação em Sociedade Anónima Desportiva.

Sabemos que o futuro dos clubes, passa por esta nova realidade e as SAD´s, são grosso modo, o meio idóneo para que os clubes de dimensão e escalão inferior, se possam tornar mais competitivos e ombrear os desafios cada vez maiores da nova realidade desportiva.

As SAD´s têm vantagens ao nível fiscal, ajudando os clubes a melhorar a sua performance e a redução da fatura fiscal, podendo obter igualmente outras formas de financiamento com vantagens diversas.

Ainda no que concerne à liderança desportiva, as SAD´s apresentam vantagens, tais como, uma maior independência da gestão empresarial em relação à dinâmica global do clube, o que permite uma maior flexibilidade no investimento e na gestão de receitas próprias.

Até aqui, e em tese, tudo bem!

Assim sendo, e segundo noticias vindas a público, a gestão do Futebol Profissional passará, após a constituição da SAD, para a gestão da empresa Gradual Score, que ficará com 90% da sociedade, ficando o FC Penafiel com os restantes 10%.

Há uma velha máxima, segundo a qual “nem tudo o que lei não proíbe, pode ser feito sem mais”.

E, na verdade, e independentemente da legitimidade e das vantagens que podem advir com a transformação em SAD, sendo que a pedra de toque deste novo paradigma se vai cingir ao sucesso ou insucesso desportivo, seria desejável, do meu modesto ponto de vista mais informação e detalhadas explicações, à sociedade penafidelense em geral.

Desde logo, tornarem-se públicas se houve ou não propostas melhores do que aquela que a Exma Direção do clube apresentou com legitimidade;

Por outro lado, os compromissos que as diferentes entidades irão assumir;

Aqueles que serão os novos rostos da SAD Penafidelense, e nomeadamente explicarem-se ao detalhe os benefícios que o clube terá.

Se haverá ou não acumulação de diversas funções, e, se as houver, se são compatíveis;

Isto porque, um clube como o nosso que tem um Estádio Municipal, no qual a autarquia investiu avultados milhares de euros na sua remodelação, que tem empresas municipais, nomeadamente uma que outorga contratos de publicidade com o clube, que tem e bem, dezenas de empresas a colaborarem com aquele que é um dos nossos principais embaixadores, devem os seus responsáveis ter o cuidado de explicar ao pormenor a todos os associados e não só, porque defendem esta decisão e se a mesma se vai revelar positiva e que será boa para todos.

Evidentemente, que os órgãos sociais dos clubes e das associações, são os meios idóneos para tal ser feito, e foi por certo. Porém, como se trata de uma decisão que muda radicalmente a estrutura e modo de funcionamento do clube, a informação devia ser mais abundante, porque o excesso de informação neste particular, não é defeito, bem pelo contrário.

Num mundo global, em que investidores dos locais mais recônditos do planeta, têm tido nos últimos anos uma particular predileção pela “aquisição” de clubes de dimensão inferior, num mundo que movimenta milhões, a bem da transparência, da clarividência e da verdade desportiva em última instância, todos devem saber das vantagens e desvantagens deste novo paradigma de gestão.

Em suma, os penafidelenses, devem saber que o seu clube terá um novo modelo de gestão, para que, com propriedade, e esperemos possam dizer no futuro, que o FC Penafiel mudou para melhor!

O que importa, é que seja bom para todos.

Vamos acreditar e esperar que sim!