Publicidade

Foi aprovada ontem, em reunião de câmara, a celebração de um protocolo de colaboração entre o município de Valongo e o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto para a elaboração de um Plano Municipal de Saúde concelhio.

Desde 2014, lembrou José Manuel Ribeiro, que o município integra a Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis, uma associação de municípios com a missão de apoiar a divulgação, implementação e desenvolvimento do Projecto Cidades Saudáveis junto dos municípios que pretendam assumir a promoção da saúde como uma prioridade.

Isso implica, segundo o protocolo, desenvolver localmente o Projecto Cidades Saudáveis com base em várias medidas. Entre elas está a realização do diagnóstico local na área da saúde e a subsequente elaboração do Plano de Desenvolvimento de Saúde para o concelho de Valongo, “numa perspectiva de planeamento estratégico municipal”.

“O propósito maior é o de adequar as respostas públicas às reais necessidades da população, aperfeiçoando o perfil das políticas locais, decisões e iniciativas”, descreve o mesmo documento.

“Fomos o primeiro município da Área Metropolitana do Porto a aderir à Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis e um dos objectivos é criar planos municipais de saúde trabalhando questões como a obesidade infantil ou o envelhecimento activo”, deu como exemplo o presidente da Câmara Municipal de Lousada.

O plano vai definir metas para reduzir ou resolver os principais problemas identificados. “Vamos saber como podemos ter melhor saúde, através da melhoria de comportamentos em termos alimentares e de actividade física. Vamos ser dos poucos municípios do país a ter um plano destes”, assegurou o autarca.

O PSD votou favoravelmente este protocolo mas não deixou de questionar os custos envolvidos. “Não estamos contra o plano, mas mais uma vez por estarmos numa Rede vamos pagar e, desta vez, são 22 mil euros. Isto não é um protocolo de colaboração, é uma prestação de serviços”, criticou Luís Ramalho.

 

1 Comentário

  1. Será agora que a “USF Santa Justa” (Valongo) irá ter os médicos que lá faltam há dois anos a esta parte?…
    Chegam, mas partem semanas depois!
    Ainda não entendi porque não ficam:
    – que segredo macabro está por detrás desse facto?
    Quem não puder pagar uma consulta particular, bem pode morrer ao abandono!
    E como sempre em casos tais, quem sofre mais são os POBRES, os mais velhos e doentes!

    MAS VEM AÍ MAIS UM PLANO MUNICIPAL…
    No papel, é muito bonito.
    Na prática, será mais um acto político para… E as reticências dão largas à imaginação!

Comments are closed.