Publicidade

Há 10 anos, o projecto Rota do Românico saía do papel e começava a tomar forma. Na altura, eram apenas 21 monumentos distribuídos por seis municípios. Foi, provavelmente, o primeiro projecto supramunicipal desta região e o único que foi mais além do que uma pomposa cerimónia de apresentação.

O jornal VERDADEIRO OLHAR acompanhou de perto essa evolução. Semanalmente, fomos contando a história de cada um dos monumentos intervencionados, mostrando o antes e o depois de serem recuperados. Mais tarde, com a colaboração dos seis autarcas do Vale do Sousa e quase duas dezenas de figuras públicas da região, editámos um livro sobre o projecto.

Hoje, a Rota do Românico integra 58 monumentos, distribuídos por 12 municípios, e já conquistou vários prémios, transformando-se num forte meio de divulgação e projecção da região, proporcionando a cada visitante uma viagem pela história até ao tempo de antes da fundação da nacionalidade.

Porque crescemos a par da Rota do Românico, iniciámos uma série de reportagens, que incluem registo audiovisual, com cada um dos presidentes de câmara dos municípios pioneiros do Vale do Sousa.

Levámo-los a visitar um dos monumentos do seu concelho e convidámo-los a falarem-nos da história desse monumento e a contarem-nos a sua estória com esse monumento.

A primeira, que já se encontra publicada, é uma visita ao Mosteiro de São Pedro de Ferreira, acompanhada pelo presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, que também assume a presidência da Associação de Municípios do Vale do Sousa. Nesta série de reportagens não se inclui o presidente da Câmara Municipal de Paredes, por ter recusado o convite que lhe fizemos.

A Rota do Românico pode ser vivenciada de inúmeras formas e não se esgota nas visitas aos monumentos. Através da página da Internet da Rota do Românico (www.rotadoromanico.pt) é possível consultar um conjunto de propostas capazes de surpreender e de experimentar este produto turístico e cultural de forma única. Fica a sugestão.