Fotografia: Câmara de Paços de Ferreira
Publicidade

O cidadão freamundense, Paulo Barros, neto do ilustre médico Jaime Barros, licenciado em Farmácia pela Universidade do Porto e Professor Convidado da Shenyang Pharmaceutical University, em Shenyang (China), entre 2015 e 2017, foi reconhecido pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) com o prémio Mérito OIV 2018.

Paulo Barros foi, esta sexta-feira, recebido pelo presidente da Câmara de Paços de Ferreira, Humberto Brito, a quem ofereceu um livro de sua autoria. Citado em comunicado, o autarca realçou que esta distinção de prestígio internacional é um orgulho para os concidadãos, prestigiando o nome de Freamunde e do concelho.

Este galardão, que lhe será entregue no Uruguai, assinala o seu longo percurso na representação de Portugal junto desta organização inter-governamental de âmbito internacional, de natureza científica e técnica.

Publicidade

Enquanto membro do Conselho Científico e Técnico da OIV, organização internacional que congrega actualmente 46 estados-membros, Paulo Barros esteve envolvido na preparação de muitas das resoluções desta organização que influenciaram a vitivinicultura mundial, salienta a autarquia.

Paulo Barros exerce funções no Instituto dos Vinhos do Douro do Porto, coordenando o Núcleo do Conhecimento, plataforma que acompanha, de forma progressiva e permanente, os progressos que advêm de diferentes contributos científicos multidisciplinares e agrega universidades e outras instituições públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras.

Paulo Barros é Cavaleiro da Ordem do Mérito Agrícola da República Francesa, tendo sido já distinguido com o Prémio OIV 2016, categoria enologia, pela co-edição científica da obra Química Enológica – métodos analíticos, avanços recentes no controlo da qualidade dos vinhos e de outros produtos vitivinícolas.

O freamundense foi presidente da sub-comissão de Métodos de Análise e Apreciação de Vinhos entre 2012 e 2015, pelo voto unânime dos Estados-Membros, e está prestes a terminar um mandato de três anos como vice-presidente desta sub-comissão.