Publicidade

A estratégia de conservação e valorização do património geológico no concelho de Valongo foi premiada. A exposição “Trilobites em Valongo: um rasto de história…”, promovida pela Câmara Municipal de Valongo foi distinguida com o 1.º Prémio de Geoconservação 2018, atribuído pelo Grupo Português da ProGEO – Associação Europeia para a Conservação do Património Geológico.

A entrega do galardão decorreu, esta sexta-feira, no Museu Municipal de Valongo, onde a mostra aina está patente e pode ser visitada.

Durante a sessão, Paulo Pereira, da ProGEO, lembrou que este prémio é entregue “anualmente às autarquias e municípios que mais fazem pela valorização do património geológico” e que esta é a segunda vez que o concelho é distinguido, já que, no ano passado, o Parque das Serras do Porto recebeu uma menção honrosa.

Paulo Pereira destacou o “excelente trabalho do município” nesta área e avançou que, cada vez mais, as câmaras têm demonstrado preocupação em valorizar este património.

O presidente da Câmara Municipal de Valongo começou por lembrar que esta exposição resultou de um trabalho colectivo e que só foi possível pela colaboração de muitas pessoas. A exposição já deu origem a um filme e agora, desafiou o autarca, é preciso transformá-la um livro. “Estamos convencidos que Valongo tem uma história para contar. Temos que fazer memória e deixar para as gerações vindouras um legado com este trabalho de valorização e conservação do património geológico”, defendeu José Manuel Ribeiro.

Segundo o edil, Valongo vai receber no final do ano um congresso internacional de mineração romana e está a preparar uma exposição com essa temática. “Temos aqui o maior complexo mineiro subterrâneo do império romano. Isto tem valor, tem que ser promovido, valorizado e transformado em memória”, acrescentou o presidente da câmara.

José Manuel Ribeiro sustentou ainda que é preciso formar as crianças para defenderem este património no futuro.

Recorde-se que esta exposição foi realizada com o apoio científico do Museu de História Natural da Universidade do Porto e inaugurada no âmbito das comemorações dos 180 Anos do Município de Valongo, dando a conhecer os seres marinhos que povoaram o território do concelho há centenas de milhões de anos.

Publicidade