Publicidade

A sede do Partido Socialista, em Ermesinde, acolheu, no passado dia 6, um debate promovido pela Juventude Socialista de Valongo sobre a legalização das drogas leves.

“A controvérsia da temática despertou o interesse da comunidade, o que se reflectiu numa sala completamente cheia, tendo o debate, entre jovens e menos jovens, resultado de um momento de aprendizagem e discussão muito enriquecedor”, diz nota de imprensa da JS.

Os oradores foram Cláudia Silva, socióloga formada pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, e Luís Guimarães, médico, formado pelo Instituto Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, e membro da Assembleia Municipal de Penafiel.

“Por ser um tema fracturante, apresentaram-se posições divergentes, o que enriqueceu ainda mais a discussão. Percebe-se que a população, jovem e menos jovem, é cada vez menos conservadora e revela uma enorme abertura para estas questões mais sensíveis da sociedade”, afirma o presidente da JS Valongo, Pedro Marques Pimenta, citado em comunicado.

“Apesar de Portugal ser tomado como um bom exemplo no que toca à descriminalização da posse de droga para consumo próprio, desde 2001, ainda há um longo caminho a percorrer. Em 2017 começou a debater-se na Assembleia da República a legalização das drogas leves, nomeadamente cannabis, para fins medicinais, mas não recreativos, dando o mote para uma discussão que certamente nos acompanhará nos próximos anos”, acrescentou.

Publicidade