Publicidade

Dois homens encapuzados e armados de caçadeira assaltaram, esta tarde, o multibanco da Junta de Freguesia de Cete, enquanto a máquina era carregada com dinheiro. Durante o assalto ameaçaram, além do funcionário da Prosegur, dois elementos do executivo. Os ladrões fugiram com uma mala de dinheiro, de valor não divulgado, numa carrinha branca.

“Disse quietinho, quietinho e tinha a arma apontada para o chão”

“Quietinho, quietinho” são palavras que Américo Almeida Ferreira, tesoureiro da Junta de Freguesia de Cete, não vai esquecer tão cedo. O homem de 80 anos estava reunido com a secretária da Junta enquanto um funcionário da Prosegur carregava a máquina multibanco dentro do edifício. Na junta estava ainda uma administrativa. Ninguém esconde que a tarde lhes trouxe um susto que não vão esquecer.

“Foi tudo muito rápido”, descreve Américo Almeida Ferreira. Os dois homens encapuzados apareceram de repente já depois de um dos elementos da carrinha de transporte de valores estar dentro da junta a fazer o carregamento da máquina com  dinheiro. Um ameaçou-o a ele e à secretária da Junta, o outro entrou na pequena sala onde o funcionário da Prosegur carregava a máquina. “Disse quietinho, quietinho e tinha a arma apontada para o chão, não apontou para nós. O outro teria um ferro”, conta. “Não estiveram cá cinco minutos e não agrediram ninguém porque nós obedecemos”, explica. Segundo Américo Almeida Ferreira, ainda na segunda-feira a máquina tinha sido reabastecida, mas o movimento do Carnaval deixou-a sem dinheiro.

Quando se apercebeu do que se passava, a administrativa da Junta de Freguesia refugiou-se noutra sala, junto de uma técnica da Segurança Social e de uma utente. Ainda viu os dois encapuzados a fugir e a saltar o muro. Terão seguido pela Rua de Fontielas numa carrinha branca, com uma mala de dinheiro.

O outro funcionário da carrinha de transporte de valores não se terá apercebido do que se passou.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia de Cete, Tomás Correia, esta é a primeira vez que o multibanco foi assaltado desde que foi colocado no edifício sede da junta, há cerca de 10 anos.

No local estiveram elementos da GNR e da Polícia Judiciária.