Foto: Projecto FUTURO
Publicidade

Entre Outubro de 2011 e Abril de 2017 foram plantadas, no âmbito do FUTURO – projecto das 100.000 Árvores na Área Metropolitana do Porto, mais de 98 mil árvores nativas em 16 concelhos.

Valongo surge como o concelho em que mais árvores foram plantadas – 16.546 no total -, seguindo-se Arouca (14.971) e Gondomar (13.804). Foi também Valongo o município em que mais acções de plantação de árvores foram realizadas.

Infografia: Projecto FUTURO

Trabalho da Escola Básica de Recarei destacado

Nos últimos cerca de seis anos, no âmbito do projecto FUTURO, foram realizadas 593 acções de plantação de árvores nativas de cerca de 40 espécies em 185 hectares de floresta distribuída por 16 concelhos da Área Metropolitana do Porto.

Este trabalho contou com 13.791 participações voluntárias e mais de 43 mil horas de voluntariado. O resultado está à vista, mostra o relatório mais recente, foram plantadas 98.029 árvores.

Valongo lidera a lista como o concelho onde mais novas árvores foram plantadas. No total há mais de 16.500 novas árvores e arbustos em espaços do concelho como Serra de Santa Justa, Ribeira de Fontelhas, Travagem e Corredor Ecológico. A maioria, cerca de 9.000 árvores, foram plantadas entre 2014 e 2015. Em Paredes, os resultados destas acções ainda são residuais.

Foi também Valongo o concelho em que mais acções de plantação foram realizadas – 92. O concelho mais aproximado é Gondomar, com 85, e o seguinte é a Maia, com 51 acções.

Estas acções contaram com a participação de 9.728 alunos de 82 escolas.

Foto: EB Recarei

Só em 2016/2017 estiveram envolvidos nas actividades 6.130 alunos de 61 escolas, entre estas seis de Valongo e duas de Paredes. O relatório do projecto FUTURO aponta a Escola Básica de Recarei, em Paredes, como uma das que mais plantas produziu em viveiro, 198, e das que desenvolveram mais actividades. Entre as escolas com mais actividades está ainda a Escola Básica e Secundária de Campo, em Valongo. Também em Valongo, a Escola Básica da Azenha surge como uma das que teve maior participação da comunidade (442 alunos).

O relatório destaca mesmo o trabalho da EB de Recarei entre os “projectos inspiradores”. Segundo o documento, a escola lançou o projecto “Aprender com a Biodiversidade” e apostou neste ano lectivo na criação de um viveiro de plantas nativas, explorando ainda o tema da floresta nativa de uma forma muito mais ampla e diversificada. “Foi ainda feita uma grande aposta na comunicação e partilha do trabalho realizado, com a criação de um blogue para os trabalhos da turma. As visitas ao jardim da escola permitiram estudar o crescimento das árvores e a biodiversidade. Os desenhos e as histórias foram várias e permitiu conhecer a floresta do imaginário das crianças até à floresta real, que existia bem perto da escola”, explica o relatório. Houve saídas de campo e a composição de hinos à floresta, às serras do Porto e à árvore. E No final do ano lectivo os mais pequenos contaram a todos os colegas as experiências e aprendizagens feitas.

Foto: EB Recarei

O FUTURO –projecto das 100.000 Árvores na Área Metropolitana do Porto – está em desenvolvimento no território dos municípios da Área Metropolitana do Porto, em particular Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, S. João da Madeira, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia.

O projecto nasceu em 2010, no contexto do Centro Regional de Excelência em Educação para o Desenvolvimento Sustentável da Área Metropolitana do Porto (CRE.Porto), uma rede com dezenas de parceiros co-liderada pela Universidade Católica Portuguesa e pela Área Metropolitana do Porto.

Pode conhecer melhor os relatórios aqui.